sábado, 21 de dezembro de 2013

Top 20 Músicas de 2013™



Eu tinha feito uma lista dessas no ano passado no meu outro blog. Mas como eu abandonei aquele, resolvi fazer a versão deste ano aqui. Elenco as músicas que eu mais curti em 2013 (que eu mais gostei, não melhores, afinal não sou dono de verdade nenhuma).
É basicamente heavy metal e derivados, mas tem uma e outra surpresinha no meio.



20 – Castles in the Air – Stratovarius
            Que baita disco esse Nemesis. Definitivamente o melhor da banda desde a tumultuada saída do Timo Tolkki. Eu adoro essa música em especial por causa do refrão poderoso e a forma como ela é construída, sendo jogada nas alturas por teclados excelentes e backing vocals fantásticos. E a letra é fantástica também. 






19 - Enshrined in My Memory - Timo Tolkki's Avalon
            O senhor Tolkki criou um baita problema para si mesmo quando começou a repetir-se infinitamente nos clichês que ele próprio criara no metal melódico. Aí ele resolveu lançar esse metal ópera, que ainda é puramente metal melódico, mas que com um pé bem fundo no freio em relação a fritações e clichês. E essa é a música que eu mais gosto, porque lembra o Stratovarius sem ser uma cópia barata, além de que tem a atuação sempre marcante da Elize Ryd. 





18 – Burn With Me – Amaranthe
            As baladas do Amaranthe são sempre muito boas. E com essa não foi diferente. O segundo disco foi em um mesmo nível que o primeiro, mas não se repetiu demais e para mim foi bastante satisfatório. 





17 –– Vision of the Condor – Tierramystica
            Essa banda veio pra ficar. O debut de 2010 já havia sido excelente, e este segundo trabalho chegou pra firmar de vez o nome do Tierramystica no cenário do metal nacional (e por que não mundial?). 





16 – Ditt Endelikt – Sirenia
            Misturar norueguês com espanhol pareceu uma boa ideia pra Morten Veland. E foi mesmo. 






15 - A Lannister Always Pays His Debts - Ramin Djawadi
            Apenas uma palavra: sim. Nada me impede. 



14 - Savior In The Clockwork – Avantasia
            Esse disco demorou pra me ganhar, mas essa música foi paixão a primeira ouvida. 




13 – All is One – Orphaned Land
            Um disco menos denso e complexo dessas lendas israelenses do metal progressivo, mas nem por isso deixa de ser fantástico. E essa faixa traduz com maestria tudo o que se ouve no disco. 





12 – Fantasy – Stratovarius
            Uma canção stratovariana até a medula. Tecladinho maroto e letra positivista do extremo do nosso amigo Kotipelto, o Augusto Cury do metal melódico.




 

12 – Darkest White – Tristania
            Que pedrada meus amigos. Quando eu ouvi a demo dela pela primeira vez, tive convicção de que o Tristania estava de volta à boa forma.





11 - The Age of The Atheist – Sepultura
            O Sepultura de sempre com uma cara totalmente nova.




10 – Himmelfall – Tristania
            Grande atuação do Kjetil Nordhus, que se afirmou de vez nos vocais limpos da banda. Grande atuação da Mariangela também, que arrasa no refrão. 





9 - Those We've Left Behind – Maegi
            Hansi Kürsch né 




8 - Back on the Ground – James Labrie
            Jaiminho manda muito bem na sua carreira solo. Dessa vez lançou um disco ainda melhor que o anterior, e essa faixa foi a que eu mais gostei. 





7 – Frozen North - Bruce Soord with Jonas Renkse
            Um lançamento muito legal. De metal não tem nada, mas têm uma atmosfera meio Katatonia que fecha perfeitamente com a voz do Jonas. 






6 – Deathlike – Ancient VVisdom
            Definitivamente, uma das minhas bandas favoritas da cena occult rock. 





5 – More than Living – Jess and the Ancient Ones
            Definitivamente, a minha banda favorita da cena occult rock. Que música fantástica, transcendental eu ousaria dizer. Irmã gêmea de Sulfur Giants do disco de estreia, mas que mesmo assim tem uma aura poderosa e grandiosa, que te envolve por completo e te leva numa jornada mística quase sem volta. 






4 – Shades of Gray – Amorphis
            Não são 50, mas o suficiente. 






3 – Requiem – Tristania
            Mariangela na sua atuação mais segura e impactante desde que entrou na banda. É a música dela, o seu momento de brilhar e mostrar todo o seu potencial. Em Darkest White ela aparece “menos” que em Rubicon, mas eu não enxergo nada de mal nisso, pois aqui ela é infinitamente melhor aproveitada.







2 – Year Zero – Ghost
            A síntese da grandiloqüência e teatralidade de uma das melhores bandas surgidas no novo milênio. 






1 – Night on Earth – Tristania
            Acho que a essa altura já ficou bem claro que Darkest White foi de longe o meu disco favorito de 2013. E com certeza Night on Earth é a minha favorita. Eu enxergo aqui tudo o que o álbum traz de melhor: o peso e a intensidade, a virulência, os guturais incríveis de Anders e mais uma espetacular atuação da Mariangela. Um refrão que volta e meia fica na minha cabeça e me faz cantarola-lo um dia inteiro. Realmente fantástico.
            Sim, Darkest White é o disco que eu mais gostei em 2013, e eu o achei tão bom que me deixa triste não vê-lo em mais listas de melhores do ano que saem por aí. Mas enfim, no meu pequeno universo alternativo, foi O melhor.








Bônus: duas músicas que eu adorei, mas não foram de lançamentos “oficiais” das respectivas bandas.



Loneliness Remains – Paradise Lost
            A banda lançou uma coletânea de b-sides e covers, e incluiu esta excelente música inédita, que bebe com vigor na fonte do Doom Metal, com influencias de Black Sabbath e Type O Negative. 





Lei it Burn – Within Temptation
            Demo de uma música inédita que fará parte do disco novo da banda, Hydra, a ser lançado em janeiro próximo. Refrão incrível e grudento, com bastante peso e melodia. Sena demo me ganhou, imagine-se só na versão oficial. 







E pra fechar, uma menção honrosa pro Behemoth que me faz essa OBRA DE ARTE:


Um comentário:

Marina disse...

Não tenho certeza se foi o que tu quis dizer, mas Fantasy foi escrita pelo Lauri Porra, não pelo Kotipelto :)